Porquê você não gosta de gordos?

Por Gunter Zibell -SP

http://www.geledes.org.br/areas-de-atuacao/questoes-de-genero/265-generos-em-noticias/20500-porque-voce-nao-gosta-de-gordos

Tem sempre quem defenda que o humor pode tudo, que estamos vivendo numa "ditadura das minorias", que não podemos mais fazer piadas de cunho étnico, religioso, de orientação sexual... Enfim, há quem ache que o mundo está ficando chato pelo fato de não podermos mais ofender e humilhar uma pessoa ou um grupo em razão de características físicas/genéticas/geográficas e sei lá o que mais.  Eu, sinceramente, não consigo entender o mecanismo que faz com que alguém se sinta ameaçado/incomodado com algo que é feito por outra pessoa, completamente estranha à vida pessoal desse alguém.  funny-kim-kardashian-pregnantAlguém acha divertido comparar uma gestante a uma baleia O que faz alguém sentir raiva de um casal gay que adotou uma criança do outro lado do mundo, ou de um imigrante que mora na sua cidade e não te incomoda diretamente, ou ainda de uma pessoa aleatória diferente em algum grau que não influencia de nenhuma forma a sua vida? Mas acima de tudo, não passa na minha cabeça o motivo pelo qual os gordos são tão odiados. Em tempos de moda plus size eu ainda me deparo diariamente com comentários que vão do ligeiramente negativo ao obscenamente ofensivo em relação às pessoas gordas.  engorda-com-facilidadeE o fato do gordo comer te incomoda por quê mesmo? O pior é o pretexto: "não se cuidam", "não são saudáveis", "são mal exemplos". Besteira, considerando o que muitos atletas e celebiscates celebridades fazem com o próprio corpo (anabolizantes e hormônios reconhecidamente nocivos, álcool e drogas, cirurgias plásticas, malhação extrema, distúrbios alimentares) que fazem com que sejam os últimos exemplos de vida saudável existentes. Podemos concluir, portanto, que  esse argumento é só uma desculpa pra justificar a própria aversão.  O gordo não é mal visto apenas agora. Na literatura mundial é comum encontrar descrições pejorativas de personagens obesos, associados normalmente à personalidades covardes, mesquinhas, cruéis e sempre ligados ao excesso de prazeres "carnais".  levantando-um-gordoFazendo graça com o sofrimento alheio: digno e humano. Só que não.  Enquanto as pessoas acham que é normal e aceitável serem más e cruéis com os obesos, ridicularizá-los e diminuí-los ou pior, muito pior, criticá-los sob o pretexto de que "só quer ajudar", uma legião de pessoas (mais da metade da população adulta brasileira, segundo o IBGE) se sente constantemente mal a respeito de si mesmos, pensam serem inferiores, incapazes, perdedores e indignos da felicidade e da estima alheia.  Eu não vou entrar no mérito sobre as causas de obesidade ou sua relação com doenças e qualidade de vida. Nosso único objetivo é criar mecanismos para as pessoas que estão acima do peso conseguirem sair desse ciclo eterno de auto desprezo, auto rejeição e auto destruição. E como gorda e boa observadora da natureza humana eu garanto: o problema não é seu.  images gorda"Saibam a diferença: curvilínea X gorda". Tá, e agora?As pessoas odeiam, segregam, desprezam, ofendem e humilham por defeitos internos, por questões mal resolvidas, por motivos que estão muito além do seu comportamento do outro. Salvo as devidas proporções, não é o homossexual que provoca a agressão do homofóbico, assim como não foram os judeus que provocaram a ira dos nazistas nem os negros que provocaram a crueldade da Ku Klux Khan. Não é o gordo comendo na praça de alimentação quem tem problemas, e sim que sai do próprio mundo pra se incomodar com a cena.  Claro que não é fácil viver num ambiente hostil, especialmente se ele começa dentro da própria casa ("você vai comer doce?!?" ou "Fulana emagreceu 15Kg com uma dieta, por quê você não tenta"). É preciso ter uma dose gigante de auto-controle e auto-estima pra não se abalar com as constantes críticas e rejeições.  Por isso, procure buscar fazer as coisas que te deixam feliz, livre-se das comparações, se jogue na moda pra gordinhas, se inspire na vida dos gordos bem resolvidos e muito amados, lembre-se que a intolerância do mundo não é pessoal. E acima de tudo, o ódio e o preconceito não são problemas seus!

Nenhum voto
30 comentários
imagem de Frederico69
Frederico69

Bom Gunter,

eu tenho 1,80 m de altura e 100 kg, já me consolei em achar que carros não foram criados para um cara do meu tamanho, e que muitas cadeiras não foram fabricadas para o meu peso. mas mesmo assim, quando vejo pessoas realmente gordas não consigo aceitar facilmente como alguém pode chegar a ficar assim, mas isso não me impede de por outro lado simpatizar com eles, já que essa é a especialidade dos gordinhos.

 

Reanimation of the sequence Rewinds the future to the past. To find the source of the solution; The system has to be recast. Black Sabbath em solo sagrado 9/10/13!!

 
imagem de Almeida
Almeida

São duas questões, de um lado temos uma sociedade que discrimina os obesos, de outro a promoção da obesidade. As maiores vítimas são as indefesas crianças, como se vê no documentário "Muito Além Do Peso", de Estela Renner e Marcos Nisti, que aborda a questão da obesidade infantil, uma epidemia mundial que afeta cerca de um terço das crianças brasileiras.

 

Almeida

 
imagem de Anarquista Lúcida
Anarquista Lúcida

Por outro lado postei há uns 2 dias um texto sobre crianças anoréxicas, obsecadas com magreza... Merda de sociedade essa nossa. 

 
 
imagem de Paulo Henrique Tavares
Paulo Henrique Tavares

Só para concluir, temos de parar de considerar gordos com vítimas. Com raríssimas exceções, são parte do problema, pois, aceitam tanto o consumo desenfreado de alimentos, shoppings, carros, etc, assim como o sedentarismo, esta combinação não vai muito longe, misturada a uma estética do magro(a) com o corpo definido, sem contar os olhos azuis, cabelo loiro, etc (mas isso o gordo pode ter).

Isto tá paracendo a questão do drogado. A sociedade o trata apenas como vítima (que também é), mas ele também é vilão, aliás, mais vilão que vítima. Esta interpretação vitimista, inclusive, dificulta o tratamento.

 
 
imagem de Paulo Henrique Tavares
Paulo Henrique Tavares

Primeiro, precisamos desmistificar. O ódio é inerente ao ser humano. Na sociedade da competição, da injustiça, este sentimento, ódio, aflora com mais intensidade, é somente isso. Os gordos não são as únicas vítimas do ódio.

Ele vai ter que desaguar em cima de alguém (seja racial, social, idade, gênero, estético, regional, etc ou combinação disso).

Porém, com relação ao gordo, com raríssimas exceções, é apenas uma consequência do mundo do consumo exacerbado, misturado ao sedentarismo exacerbado. Sem contar que para ganhar presente do papai noel, tem que comer direitinho o ano inteiro, os gordos devem ganhar bastante presente, enquanto os etíopes...

Beijos do Magro

 
 
imagem de Sergio Saraiva
Sergio Saraiva

Em fevereiro de 2012, em função de umas notas na coluna da Monica Bergamo escrevi o post abaixo:

Falta-nos um cantor

Aqui no blog investimos várias vezes nosso tempo, nossa razão e emoção para tratar da discriminação. Batalhamos contra a discriminação racial, social, das mulheres, de homosexuais e de deficientes. Discutimos cotas e educação inclusiva.

Hoje, uma nota da coluna de Mônica Bergamo na Folha, bem ao estilo Mônica, ou seja, de dizer tudo como quem está apenas fazendo um comentário ligeiro, fez-me pensar em um grupo de vítimas da discriminação tão pouco notado.

Lembrei-me de uma doída canção do Lennon que associava mulheres e negros na mesma dor.

Daí veio o título do post e abaixo minha humilde contribuição a uma canção ainda a ser composta:

"Fat people are the new niggers of the world, mutes and without someone to sing their pain."

MÔNICA BERGAMO

BALANÇA E CAI
Engordar 20 kg pode ser considerado um ato de indisciplina que justifique uma demissão por justa causa? Se o funcionário trabalhar na empresa Vigilantes do Peso, sim. O TST (Tribunal Superior do Trabalho) julga nesta semana o caso de uma ex-orientadora do grupo que ganhou peso e foi mandada embora. O placar está empatado em um a um. Falta apenas um ministro da corte votar, o que definirá o desempate.

BALANÇA 2
O ministro Guilherme Caputo Bastos votou a favor da empresa, afirmando que, apesar das diversas advertências, a trabalhadora descumpriu cláusula contratual de manutenção do peso ideal (passou de 74 kg para 93,8 kg). Isto caracterizaria ato de indisciplina e insubordinação. Para ele, ao ter como orientadora pessoa fora dos padrões exigidos, a Vigilantes do Peso estaria "trabalhando contra si própria".

BALANÇA 3
Já o ministro José Roberto Freire Pimenta considerou que a cláusula é abusiva e fere os direitos fundamentais da pessoa. Para ele, não seria razoável nem possível obrigar alguém a se comprometer a não engordar. O magistrado ponderou ainda que a funcionária "não engordou porque quis".

BALANÇA 4
A orientadora trabalhou na empresa por 15 anos e foi demitida aos 59 anos, segundo o TST. Ela quer receber verbas rescisórias de demissão sem justa causa (como multa de 40% do fundo de garantia). E ainda pode obter indenização de R$ 20 mil por danos morais.

 

PS.: aos trancos e barrancos a funcionária ganhou a causa, mas foi preciso chegar ao TST e foi por pouco.

http://www.conjur.com.br/2013-fev-28/tst-nega-justa-causa-funcionaria-vigilantes-peso-engordar-20kg

 
 
imagem de alexis
alexis

O gordo é mais um reflexo da exaustão do desenvolvimento genético da humanidade. O mercado de consumo contava, anos atrás, com o crescimento da população para estimular o consumo (avô com 5 filhos, filhos com outra quantidade similar de netos, etc.) e, esta população, começou a encalhar. É como as pirâmides financeiras, quando as últimas células do sistema não têm mais a quem passar para frente.

A única forma de aumentar o consumo via procura (pois no lado da oferta eles se encarregam de lançar “novidades” todos os dias) é fazer que as gerações recentes (últimas da corrente humana) consumam mais que as pessoas normais. O gordo come mais (preferentemente fast food), o hipocondríaco consulta mais médicos e compra mais remédios, o “new rich” gosta de aparecer com compras extravagantes, o solitária gasta mais dinheiro com cachorros, a feminista gasta mais dinheiro no cabeleireiro e no shopping, o Gay consome mais (em geral) e é ávido pelas novidades do mercado, e por aí vai. Se as pessoas mantivessem os seus costumes e comportamento social tradicional, o mundo consumista ficaria paralisado, pelo lado dos consumidores.

Teríamos que agregar mais uma G de gordo à sopa de letras atual: GLBTSMXTPG, que congrega todos os gêneros com que alguns intelectuais conseguiram reclassificar a raça humana nestes tempos modernosos.

 
 
imagem de Sergio Saraiva
Sergio Saraiva

Como ensinou uma professora a quem eu admiro muito: "às vezes, é quando estamos falando contra o preconceito que mostramos o quanto somos preconceituosos".

 
 
imagem de Jorge Nogueira Rebolla
Jorge Nogueira Rebolla

A perseguição aos gordos vai muito além da postagem. Você sabia que dependendo do IMC o candidato a uma vaga é reprovado como não apto pelos fabricantes de ASO? Excesso de peso se tornou impediditivo para o trabalho e não existe nenhum instrumento legal que impeça esta discriminação...

 

Nem o socialismo nem o monopólio.

 
imagem de Sergio Saraiva
Sergio Saraiva

Professoras dizem ter sido vetadas por obesidade

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/869371-professoras-dizem-ter-sido-vetadas-por-obesidade.shtml

Alckmin diz que recusa a docentes obesas não é "questão de aparência"http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/alckmin+diz+que+recusa+a+docentes+obesas+nao+e+questao+de+aparencia/n1237980516216.html

 
 
imagem de Antonio C.
Antonio C.

É legal ver discussões deste tipo, fora da "política". Afinal, é aí onde as pessoas se revelam. Enquanto tiver Lula e Serra, qualquer um pode se esconder e vai-se junto, plenamente justificado.

A separação entre obesidade como característica física (e aceitação social) e doença que possa decorrer é parcialmente justificável.Mas compreensível.

A maioria das neuroses, apesar de tudo aquilo que os freudianos dizem, tem relação com a pré-genitalidade, mais exatamente, a oralidade (que é relativa às relações de dependência e a ndependência do indivíduo). Deste modo, a neurose tem base social, embora seja sintoma individual.

Essa psicossociologia rasteira que ofereço aqui não é descabida. Uma outra expressão neurótica derivada da oralidade é a depressão, o "mal do século", como muitos denominam, em que as pessoas não realizam metas (pressão das empresas?) e se sentem inúteis ou, no mínimo, incapazes.

A esmagadora maioria das pessoas que conheço e que são obesas possui um declarado histórico de preconceito, de rejeição, de forma continuada. A fase escolar é uma das piores.

Pressões por ser perfeito aos olhos dos outros (fascismo é café pequeno), a vítima, em vez de se vingar, dar um soco, "pegar na trairagem" e dar uma sova, a pessoa engole. Nem morde mais, engole. Só que a porcaria da ansiedade volta. E a pessoa manda comida para dentro. A raiva a consome. Essa autoagressão contínua dará todo tipo de doenças psicossomáticas, incluindo diabetes. Não sei se vale a pena se consumir e deixar algozes inteiros, com a seu "fascismo cotidiano" à toda.

Para piorar, a maior ideologia de todas: "revidar é errado". Pior para a vítima contumaz, que não se defende. E ninguém liga para ela.

O incômodo que uma pessoa tem por uma pessoa obesa... é uma mistura de introjeção (modelos de ser) e projeção (o mal está no outro). Afinal, todo julgamento do tipo "que coisa ruim, feia" tem o seu oposto, "o bom, lindo". Nesse crime continuado, quem consegue emagrecer se sente "lindo"; parabéns ao ego ideal, que agora conquistou um cadáver. A felicidade continua determinada pelo juízo de outrem.

Mas o obeso sofre também com a introjeção. Ele fica, como eu disse, com raiva (reação ao juízo que querem que ele engula), e reprime seu juízo em prol do "social" ("brigar não leva a nada", eis o mote), se conformando.

A algum obeso de plantão: preste atenção em como come. Não em quanto come, mas como come; apenas observe, sem julgar. Se mastiga pouco, se engole muita comida, se come distraidamente... A segunda dica: quando sentir ansiedade ou sentir raiva e lhe der vontade de comer, pegue uma maçã. "Ataque" a maçã (ou uma fruta carnuda o suficiente). Mastigue muito, com firmeza, até o sólido de liquefazer por ação da mastigação e da saliva, e engula. Essas duas dicas são excelentes. A terceira dica é: faça com os outros aquilo que você faz contra si mesmo.

E aquela garota da foto, que está com vestido branco-e-preto... Alguém tem o telefone dela?

 
 
imagem de Gunter Zibell - SP
Gunter Zibell - SP

http://www.geledes.org.br/areas-de-atuacao/questoes-de-genero/265-generos-em-noticias/20220-coisas-que-ninguem-diz-para-meninas-gordas

Coisas Que Ninguém Diz Para Meninas Gordas

Share on email 

lola

 

A Lígia encontrou um post em inglês, recomendado por uma amiga, e perguntou se eu queria que ela o traduzisse. Claro, né? O texto é ótimo, e quem sabe inglês pode lê-lo aqui no original. As belíssimas fotos foram tiradas do Body Image. Super obrigada, Lígia, pela dica e pela tradução!

lola

Há coisas que nunca são ditas para garotas gordas. Então eu vou dizer:

lola

Todo mundo tem dobrinhas quando se curva. Todo mundo. Vamos deixar isso claro logo de cara. Nos últimos meses, mais de trinta mulheres, das mais magricelas até as mais gordinhas, se deitaram nuas na minha cama. Eu geralmente pedia que elas abraçassem seus joelhos, e vocês não vão acreditar: todas tinham dobrinhas na barriga.

lola

Nenhuma saiu ilesa. Até uma modelo, medindo 1,80 de altura, tinha dobrinhas na barriga. As fotos que mostravam a barriga das fotografadas se tornaram minhas preferidas de todo o projeto... Então pare de achar que as dobrinhas na barriga são uma coisa ruim, e tente aceitar (ou até mesmo amar) as suas.Quando as pessoas disserem “você é linda”, acredite. Eu costumo não acreditar, e isso é uma vergonha. lola Quando as pessoas te fazem um elogio genuíno, é porque é isso que elas veem. Tente não achar que elas estão erradas. Elas veem você como um todo; nós vemos nossos defeitos. Acreditenelas.“Braços que balançam são uma vergonha”. Não são, não, vá se f*der. Não, não você. As pessoas que nos dizem isso. “Você não é deslumbranteapesar do seu corpo. Você é deslumbrante por causa do seu corpo”. Há uma grande diferença aí. Eu cresci numa cultura que classifica mulheres pouco atraentes como “espíritos especiais”. Essa é uma categorização degradante, que implica que a única coisa de valor é o interior das mulheres. Claro que nós todas somos muito mais que nossos corpos, mas nossos corpos também são uma parte bonita do que nós somos. A beleza vem de dentro e de fora. Eu acredito firmemente na ideia de que toda e qualquer pessoa é bonita e, portanto, o interior é a parte mais reveladora quando se trata da verdadeira “beleza”. lola Você não precisa malhar todos os dias para se sentir bem consigo mesma. Muita gente acredita que pessoas gordas precisam se exercitar o máximo possível para provar que estão decididas a se tornar menos gordas. Como se aceitar nosso corpo como ele é fosse um pecado mortal. Claro que o exercício físico tem diversos benefícios para o corpo e para a mente, mas você não precisa se esforçar para mudar seu corpo a menos que essa seja a sua vontade. Você não precisa mudar o seu corpo para se sentir bem. E ponto final. lola Você pode se apaixonar por si mesma. Essa vai ser a coisa mais assustadora que você irá fazer, mas tudo bem. Porque essa também será a mais fantástica experiência que você terá na vida (mesmo que gradual). Isso não é ser narcisista ou convencida. É simplesmente libertador.Tudo bem também se você não se amar todos os dias. Nós passamos nossa vida inteira internalizando mensagens de que ser gorda não é legal.  lola Sofremos a vida inteira uma lavagem cerebral que nos faz odiar ser quem somos. Demora pra gente conseguir pensar de outra maneira; não vai acontecer de um dia para o outro. Se dê o direito de chorar, soluçar, gritar, atirar coisas. Mas então se levante e siga em frente, porque você é uma guerreira. lola Todo mundo tem um peito maior que o outro. Se você tiver um peito grande, eles serão ainda mais diferentes entre si. Não se preocupe, isso é completamente normal.Há pessoas que preferem mulheres gordas. Antes eu achava que o melhor que eu podia fazer seria encontrar alguém que aceitasse o fato de eu ser gorda. Mas então descobri que não somente existem pessoas que adoram mulheres gordas, mas que existem MUITAS pessoas que preferem as gordas. Não se conforme com um parceirx que meramente aceite seu corpo. Você tem o direito (e milhares de oportunidades) de achar alguém que se apaixone pelo seu corpo. Você merece ser idolatrada, moça!

lola

Mulheres gordas transam com caras gostosos o tempo todo. Eu sei que “gostoso” é um termo relativo, mas vamos falar aqui daquele tipo universal de homem gostoso. Sabe, aquele que “as gordas não merecem?” Infelizmente vocês sabem do que eu estou falando. O fato de mulheres gordas transarem com caras gostosos foi uma das maiores descobertas que eu já fiz. Antigamente eu achava que o número de pessoas que me achariam atraente seria muito pequeno, então eu me contentaria com qualquer um que me achasse atraente. Afinal, por que um cara convencionalmente bonito iria gostar de uma garota gorda?  lola Acontece que por meio da internet, de festas e eventos, eu acabei descobrindo centenas de homens que brigariam para transar comigo. De repente, eu é quem estava escolhendo com que eu queria transar. A ideia de que pessoas com corpos “atípicos” não podem se juntar com aquelas “tipicamente atraentes” é falsa. As pessoas precisam saber que todos os tipos de corpos podem ficar juntos. lola Ficar por cima na hora do sexo não vai machucar o cara. Confie em mim, esse medo é totalmente falso.Vestir o que você quiser é um ato político. Participe da revolução. Jogue todas as regras de estilo pela janela. Use roupas justas, listras horizontais, calças skinny, leggings, blusas transparentes, biquínis... use aquilo que te faz feliz. lola Você é linda! Eu sei que você não se sente a criatura mais bonita desse mundo.Eu sei que isso é difícil. Eu sei que essa é uma batalha diária. Mas que se f*da o padrão fascista que foi estabelecido. 

lola

  Assim que você parar de olhar para as modelos absurdamente magras e passar a olhar para VOCÊ, você passará a gostar de si mesma como você é. Pare de procurar defeitos em você. Você é perfeita. Você é mais do que suficiente. Você é a melhor coisa que já te aconteceu. Você é linda. Lola Fonte: Escreva Lola Escreva

 

"Eu abri uma frestinha na porta do armário. Dei uma escapadinha para fora. Eu entro no armário de novo e tranco a porta. Boto cadeado. Juro." http://www.facebook.com/FelixBichaMa

 
imagem de Gunter Zibell - SP
Gunter Zibell - SP

http://www.geledes.org.br/areas-de-atuacao/questoes-de-genero/180-artigos-de-genero/20449-gordofobia-que-vem-de-casa

Gordofobia que vem de casa

Share on email gordo sou gorda me deixe em pazM. é muito autoconfiante, mas me enviou este email cheio de perguntas difíceis. Quem não acredita em gordofobia deveria ler seu relato duas vezes. Quero lembrar que há diferença entre discriminação e preconceito. Discriminação é algo mais tangível, como não contratar uma pessoa por ela ser gorda (o que de fato acontece, mas é dificílimo de provar). Preconceito é o que a gente vê nas caixas de comentários daqui sempre que toco no tema da gordofobia. Inclusive, negar que gordofobia existe é um tipo de preconceito. Fiquem com o relato da M. gordofobia tamara de lempicka
Eu sou uma garota de 20 anos gorda. Nasci gorda e assim sou desde então. Obviamente, eu sou muito mais que isso. Estudo jornalismo na melhor instituição do país na área (ou pelo menos é o que me fizeram acreditar), falo inglês fluente com todos certificados de Cambridge possíveis e espanhol com todos certificados de Salamanca e mais um monte de outras coisas que as pessoas dizem ser muito importantes. Além disso, eu sou gorda e bem resolvida. Olha que absurdo!

Nos últimos meses, fiz o processo seletivo de duas grandes empresas de comunicação desse país e fiquei entre os finalistas em ambas. Por razões que desconheço, não fui chamada para trabalhar em nenhuma das duas. Sofri, claro. Mas preferi encarar como coisas da vida.

Acontece que, para minha família, uma explicação assim não basta. Afinal, com tanto dinheiro investido em intercâmbio, viagens para Europa, aulas disso e daquilo, ser chamada por essas empresas era o óbvio. Então, foi impossível que não fosse constatado o seguinte problema: é porque eu sou gorda. Não serei ninguém enquanto não emagrecer.

Meu pai fez questão de imprimir inúmeras pesquisas falando que ninguém quer contratar gordos. Minha mãe me implora todo dia para eu emagrecer. Diz que é saúde. Agora, eu nado cerca de 10 km facilmente no mar sempre que vou à praia, não consigo me ver como alguém sem saúde.

Então, mando esse e-mail como um desabafo: será que é uma tristeza tão horrível ter uma filha gorda? (Leia-se 75kg e 1,60m). E será que essa sociedade chegou nesse nível de podridão na qual uma pessoa, por mais capacitada, articulada que seja, não tem a chance de competir de igual para igual com as outras por questões estéticas?
Outro dia perguntei para minha mãe (a mulher que me ensinou a buscar independência, a não aceitar que nos limitem por gênero, cor ou etc) o que ela faria se eu fosse negra ou pessoa com necessidades especiais. Perguntei se ela pediria para eu embranquecer ou nascer de novo, nos moldes ditos perfeitos. Ela disse que não. Então eu lhe perguntei: por que eu tenho que emagrecer para agradá-la? Ela não soube responder ao certo.

Eu namoro um cara ótimo, tenho muitos amigos, sou super vaidosa... enfim, não faço do meu peso muleta para nada. Entretanto, parece que isso incomoda muito algumas pessoas ao meu redor. Na cabeça delas, eu TINHA que estar me esforçando para emagrecer. Não consigo compreender essa lógica. Por que eu deveria estar infeliz comigo mesma?

Espero que esse e-mail não seja muito maluco e sem sentido... é só que já me sinto íntima e queria dividir um pouco dessa história de preconceito que vem de casa. 

 

"Eu abri uma frestinha na porta do armário. Dei uma escapadinha para fora. Eu entro no armário de novo e tranco a porta. Boto cadeado. Juro." http://www.facebook.com/FelixBichaMa

 
imagem de Gunter Zibell - SP
Gunter Zibell - SP

Só lembrando que o texto não é meu, é um texto não assinado do blog Geledes.

A confusão ocorre porque o sistema de 'upagem', quando puxa do clipping mostra "Sugerido por", e quando puxa da área de blogs mostra apenas "por".

E eu esqueci de colocar blog Geledes como autor. Desculpem!

 

"Eu abri uma frestinha na porta do armário. Dei uma escapadinha para fora. Eu entro no armário de novo e tranco a porta. Boto cadeado. Juro." http://www.facebook.com/FelixBichaMa

 
imagem de Ed Döer
Ed Döer

Gráfico mostrando a evolução da obesidade nos EUA nos últimos 25 anos, considerando pessoas com Obesidade Grau I e além, descartando aqueles que estariam "apenas" acima do peso.


Para o caso de não funcionar o gif animado, segue o link da origem.


http://www.theatlantic.com/health/archive/2013/04/look-how-quickly-the-us-got-fat-1985-2010-animated-map/274878/

Re: Porquê você não gosta de gordos?
 
 
imagem de Gunter Zibell - SP
Gunter Zibell - SP

Impressionante. Estados com menos de 10% de pessoas com sobrepeso em 30 anos passaram para mais de 30%!

 

"Eu abri uma frestinha na porta do armário. Dei uma escapadinha para fora. Eu entro no armário de novo e tranco a porta. Boto cadeado. Juro." http://www.facebook.com/FelixBichaMa

 
imagem de Ed Döer
Ed Döer

As % são de pessoas clinicamente obesas, o sobrepeso não está representado ali...


...se estivesse, estaríamos falando de algo na casa dos 60% no final, e não 30%.

 
 
imagem de Gunter Zibell - SP
Gunter Zibell - SP

Entendi. Refere-se a pessoas. É isso que eu quis dizer. Tinha estados na faixa de 10% de pessoas com sobrepeso (não se discutindo qual) e, passados 20 ou 30 anos, nos mesmos já havia 20% ou mais de pessoas com sobrepeso.

 

"Eu abri uma frestinha na porta do armário. Dei uma escapadinha para fora. Eu entro no armário de novo e tranco a porta. Boto cadeado. Juro." http://www.facebook.com/FelixBichaMa

 
imagem de Ed Döer
Ed Döer

Eu não vou entrar no mérito sobre as causas de obesidade ou sua relação com doenças e qualidade de vida. Nosso único objetivo é criar mecanismos para as pessoas que estão acima do peso conseguirem sair desse ciclo eterno de auto desprezo, auto rejeição e auto destruição. E como gorda e boa observadora da natureza humana eu garanto: o problema não é seu.


Nada contra os gordos em si, mas se a obesidade está relacionada com doenças, então não tem como falar em sair de um ciclo de auto-destruição sem reduzir a obesidade. E tudo isso desagua nos custos dos planos de saúde ou do SUS. E no tipo de sociedade que teremos no futuro. Entraria aí até a questão da sustentabilidade, pois se alguém está comendo muito além do necessário para se nutrir, temos que produzir muito mais alimentos do que seria realmente preciso.


Queremos uma sociedade relativamente saudável e sustentável ou algo como o abaixo, que é o caminho que vem sendo trilhado pelos EUA? Precisamos mesmo imitar os americanos em tudo?


 

Re: Porquê você não gosta de gordos?
 
 
imagem de Almeida
Almeida

Essa foto me fez lembrar de outras da gringolândia.

 

 

 

Almeida

 
imagem de Sergio Saraiva
Sergio Saraiva

"E tudo isso desagua nos custos dos planos de saúde ou do SUS. E no tipo de sociedade que teremos no futuro. Entraria aí até a questão da sustentabilidade, pois se alguém está comendo muito além do necessário para se nutrir, temos que produzir muito mais alimentos do que seria realmente preciso."

Ed, deixa ver se eu entendi:

Os preços abusivos dos planos de saúde não são função da ganância dos operadores desses planos e da sua capacidade de influência sobre a agencia reguladora, onde, aliás, o diretor da ANS é ex-advogado dos planos de saúde. Vide http://oglobo.globo.com/economia/diretor-da-ans-recem-nomeado-por-dilma-omite-ligacao-com-planos-de-saude-9344207 .

Os problemas com saúde pública não derivam do histórico baixo investimento no setor e da malversação dos recursos públicos.

Não, os gordos são os culpados disso.

Ah!, a sustentabilidade e a fome?

São os gordos, eles comeram a comidinha que iria para as criancinhas da Etiópia. Além disso, toda a devastação das florestas se dá para produzir mais alimentos para os gordos.

Sério, Ed?

Gunter, cuidado com os gordos, eles comem coxinhas.

 
 
imagem de Ed Döer
Ed Döer

Claro que tem a questão da ganância dos planos e da falta de investimentos por parte do Estado.


Mas não muda o fato de quem assume um comportamento de risco vai implicar em mais gastos para o sistema público ou privado. 


Como no caso do tabaco, que se gasta 3,3 vezes em saúde o que é arrecadado em impostos do produto.


Prevenção ainda é a melhor maneira de lidar com a questão da saúde.

 
 
imagem de Anarquista Lúcida
Anarquista Lúcida

E o que você propõe? Prisao? Dieta forçada? Ed, nao esperava isso de você. 

 
 
imagem de Sergio Saraiva
Sergio Saraiva

Comportamento de risco é trepar sem camisinha.

 
 
imagem de Gunter Zibell - SP
Gunter Zibell - SP

São coisas diferentes, acho. A autora têm razão em dizer que os demais não são as pessoas certas para lidar com a auto-estima.

Mas você tem razão em apontar que a obesidade, como o tabagismo e alcoolismo trazem impactos para todo o sistema.

Uma outra coisa que também traz efeitos danosos mas que é muito pouco falada é o estresse e o assédio moral no trabalho, a famosa 'pressão'.

Ou a pressão da sociedade para os indivíduos, que leva ao burn out.

Mas acho que sustentabilidade alimentar não é problema. Não tem sido. A área de saúde é que sofre maior impacto.

 

"Eu abri uma frestinha na porta do armário. Dei uma escapadinha para fora. Eu entro no armário de novo e tranco a porta. Boto cadeado. Juro." http://www.facebook.com/FelixBichaMa

 
imagem de Sergio Saraiva
Sergio Saraiva

Gunter, me ajude com o seu conhecimento de causa.

Homossesuais - já foram e ainda são considerados doentes. Na Inglaterra era crime até ontem e na maioria dos países arabes ainda é.

Pretos - há "estudos científicos" mostrando que são inferiores. 

Mulheres - em sociedades fortemente religiosas, cristãs e mulçumanas, pelo menos, são tratadas em nível de inferioridade em relação aos homens, pois Deus tem um plano para elas e esse plano é diferente do plano dos homens. Na Índia, meninas recebem menos alimentação que seus irmãos. Homens precisam de mais comida por que "trabalham mais".

E os gordos? Gordos são uns desgraçados que estão aí para serem discriminados até por mulheres, pretos e homossexuais, graças a Deus.

 
 
imagem de Gunter Zibell - SP
Gunter Zibell - SP

Você esquece completamente da sobreposição de grupos. Onde ficam na narrativa os gays gordos, os negros gordos, as gordas? 

Gordos são discriminados, além de por outras coisas, por serem gordos, sabe-se disso e quer-se alertar para isso.

Mas há origens e consequências diferentes. 

Não houve condenação pela Inquisição de alguém por ser gordo. Não houve escravidão por ser gordo. Não houve restrição a receber heranças ou a votar por ser gorda.

Então tem que ver quais são as demandas. Impedir empresas de discriminar na contratação é uma. Manter a pauta crítica em relação a pseudohumoristas sem noção é outra. Garantir atendimentos no SUS e, eventualmente, acessibilidade, ainda outra.

 

 

"Eu abri uma frestinha na porta do armário. Dei uma escapadinha para fora. Eu entro no armário de novo e tranco a porta. Boto cadeado. Juro." http://www.facebook.com/FelixBichaMa

 
imagem de Anarquista Lúcida
Anarquista Lúcida

Graças a Deus? ´Se era ironia, você devia ter deixado claro, porque se foi a sério isso fala muito mal de você...

 
 
imagem de Anarquista Lúcida
Anarquista Lúcida

Comecei a ler pelo comentário mais antigo. Lendo os outros, vejo que deve ter sido ironia. Mas você devia ter do claro...

 
 
imagem de Maurício Moura Costa Guimaraes
Maurício Moura Costa Guimaraes

Muito bom o seu texto!!!

 
 

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.

Faça seu login e aproveite as funções multímidia!