Quando o medo vira mercadoria

Há muito padecemos da ausência de políticas públicas sérias e contínuas que garantam a plenitude de nossa cidadania. A falta de investimentos em educação e em boa formação dos agentes públicos da segurança, aliado à morosidade do judiciário e a um sistema penal incapaz de reeducar e reinserir o sujeito na sociedade é a razão maior para os 50.000 assassinatos anuais. Um governo leniente, corrupto e constituído por políticos profissionais preocupados em se manterem no poder e em atender às demandas de seus financiadores não fará nada para melhorar nossa realidade no que tange à segurança. Aliás, grande parte de nossa insegurança é consequência da miséria e da exclusão social advinda de nossa malha política  viciada. Leia mais »

Wilson Vianna, o Capitão Aza

Por José Maria Paranhos

Vídeos: 
Veja o vídeo

Seu Madruga, quase brasileiro, saudades!

Autor: 

Seu Madruga, quase brasileiro, Saudades!

Na última sexta feira completou 25 anos que perdemos um dos grandes nomes do humor, Ramón Goméz Valdés y Castillo, conhecido aqui no Brasil como 'Seu Madruga' do Chaves!

Don Ramon, com seu humor escrachado e infantil, era o coração do seriado, o escada, aquele que dava suporte a praticamente todas as piadas e chistes do programa!

Uma das coisas que sempre me chamou atenção foi seu jeito malandro 'meio' carioca, de bem com a vida, mesmo devendo 14 meses de aluguel. Seu personagem é muito querido no Brasil!

Sexo em um país dividido em "O Leste Amava Diferente?"

A oposição entre Capitalismo e Comunismo durante a Guerra Fria não significou somente a divisão entre diferentes modelos econômicos e políticos. Mas também diferentes vidas sexuais em cada lado do muro que dividia a Alemanha. O documentário “O Leste Amava Diferente? – Sexo na Alemanha Dividida” (2006) confirmaria décadas depois as teses da chamada Nova Esquerda alemã nos anos 1970 a respeito da exploração da sexualidade pela “indústria da consciência”: enquanto na Alemanha Oriental o sexo era francamente discutido nas escolas e na TV, no Ocidente a chamada “revolução sexual” teria sido apenas uma “revolução de vendas” com a expansão da indústria pornográfica e publicitária. Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo
“Liebte der Osten Anders? – Sex im geteilten Deutschland” (2006) legendas em inglês

Apresentadora Oprah Winfrey diz que sofreu racismo na Suíça

Sugerido por Gilson AS

Até a negra mais rica do mundo sofre com o preconceito racial.

Do G1

Oprah Winfrey afirma ter sido vítima de racismo na Suíça

Ela alega que vendedora de loja negou mostrar bolsa por ser 'caro demais'. Apresentadora estava em Zurique para casamento da cantora Tina Turner.

A apresentadora norte-americana Oprah Winfrey afirmou ter sido vítima de racismo numa butique de luxo em Zurique, onde ela se encontrava para participar no casamento da cantora Tina Turner.

Em uma entrevista concedida ao apresentador Larry King no site Ora.tv, a rainha dos talk-shows contou que uma vendedora negou-se a mostrar uma bolsa, afirmando que o acessório "era caro demais para ela". A vendedora ainda explicou que o artigo havia sido criado exclusivamente para a atriz Jennifer Aniston. Leia mais »

A novela das oito e a hipersexualização do negro

Sugerido por implacavel

Do Portal Geledés

Mateus Solano e a hipersexualização do negro

Por: Higor Faria

Não é de hoje que a novela de Walcyr Carrasco, 'Amor à vida', tem causado polêmica nas questões étnico-raciais. Há alguns meses atrás, o autor recebeu de telespectadores reclamações de que não havia nenhum negro no elenco. Verdade, não tinha nenhum preto escalado para o folhetim. Depois dessas queixas, chamaram Ana Carbatti para fazer o papel de uma doutora que até então não estava na sinopse. Num país onde mais de 50% da população é negra (IBGE), é no mínimo estranho não haver gente dessa etnia numa trama com tantos atores, mas a discussão não é essa.

A polêmica da vez surge de uma declaração do ator Mateus Solano — principal antagonista (e destaque) da trama. Em entrevista, o ator afirmou "Eu cheguei até a cogitar que o Félix seria preso e que encontraria um negão na cadeia que faria ele feliz, ou coisa parecida". Nesse momento, ouço Ali Kamel berrando "não somos racistas". Mas nada me tira da cabeça que o discurso de Solano (consciente ou não) se baseia em antigos pilares da estereotipia para estigmatizar o negro alto e corpulento — ou, como o próprio ator classifica: o negão.

Ao longo dos séculos, foram construídos e reproduzidos diversos estereótipos sobre o corpo negro, como da mãe preta, da mulata sensual, do negro-de-alma-branca e do negão (aqui um belo trabalho sobre isso no cinema). Esses estereótipos não são motivos de orgulho nenhum e só servem para estigmatizar e reduzir a figura do preto que o carrega e do grupo ao qual faz parte. Leia mais »

Para relembrar: o programa Almoço com as Estrelas

Por anarquista sério

           Quem lembra do "Almoço dos as estrelas"??? Na foto, eu reconheço o Airton e Lolita Rodrigues, Nelson Ned e Vicente Leporace. E os demais?

 Quem lembra do "Almoço dos as estrelas"??? Na foto, eu reconheço o Airton e  Lolita Rodrigues, Nelson Ned e Vicente Leporace. E os demais? Leia mais »

Walcyr Carrasco fala sobre o personagem Félix

Sugerido por Louzada

Do Vírgula

“O meio gay é o mais homofóbico que existe”

Walcyr Carrasco fala sobre Félix e as “bichas más”

O autor Walcyr Carrasco revelou em um texto na sua página no Facebook, que o vilão Félix seria uma mulher na sinopse original de “Amor à Vida”.

“Quando criei o Felix de Amor à vida, foi uma surpresa para mim mesmo. Minha Idea inicial era fazer uma vilã tradicional. Já havia falado com a atriz Flavia Alexandra, uma malvada excepcional em Alma Gêmea. Mas ela estava na novela de Glória Perez. Convidei a Claudia Raia, que chegou a aceitar. Mas, depois , ela também foi para a novela da Glória. Fiquei pensando: que atriz seria essa vilã, capaz de jogar um bebê numa caçamba? Então me deu um clique. Por que não um gay cruel? Eu mesmo me assustei com a ideia”, explica Carrasco.

“Quando se escreve uma novela, que atinge milhões de pessoas a pressão é inacreditável. Grupos exigem que se apresente um mundo perfeito. Se há um personagem negro, tem que ser bonzinho – ou sou acusado de racismo. Se é gay, também tem que ser do bem. Não admito o “politicamente correto”. Pessoas são pessoas. Arrisquei criei o vilão gay, que vive num armário. Mas um armário corroído por cupins, ele desmunheca, fala maldades, é invejoso. Houve quem dissesse que jamais seria aceito pelo público. Que os movimentos gays me apedrejariam. Apostei”, continua o autor. Leia mais »

Crise na RedeTV!, O início do fim.

Autor: 

O pedido formal dos Sindicatos dos Radialistas de São Paulo à Presidência da República pela cassação da concessão da RedeTV! pode ser considerado o inicio de fim de uma estrutura midiática que dura mais de 60 anos no Brasil. O modelo de negócios baseado na oferta da programação paga por anúncios publicitários começou a entrar em declínio nos mercados internacionais com a popularização da oferta de conteúdo audiovisual por outras plataformas além do espectro televisivo.

A configuração da indústria televisiva no Brasil ainda respira sem a ajuda de aparelhos, pois essas plataformas (internet e TV paga) ainda não fazem frente aos números de audiência da televisão. Leia mais »

Crise na RedeTV! O início do fim.

Autor: 

O pedido formal dos Sindicatos dos Radialistas de São Paulo à Presidência da República pela cassação da concessão da RedeTV! pode ser considerado o inicio de fim de uma estrutura midiática que dura mais de 60 anos no Brasil. O modelo de negócios baseado na oferta da programação paga por anúncios publicitários começou a entrar em declínio nos mercados internacionais com a popularização da oferta de conteúdo audiovisual por outras plataformas além do espectro televisivo.

A configuração da indústria televisiva no Brasil ainda respira sem a ajuda de aparelhos, pois essas plataformas (internet e TV paga) ainda não fazem frente aos números de audiência da televisão. Leia mais »

Com vandalismo* documentário completo

"SEM VANDALISMO!" repetiam gritando parte dos manifestantes que ocuparam as ruas de Fortaleza. Mas na multidão das manifestações, que explodiram no Brasil em junho de 2013, outros grupos empregaram métodos mais diretos. Tachados de "vândalos", foram criminalizados por parte da grande mídia, antes mesmo de serem ouvidos. Este documentário vai à "linha de frente" para registrar os confrontos e entrevistar os manifestantes para mostrar as motivações dos atos de desobediência civil.
Documentário - 70min - junho de 2013 - COPYLEFT
Nigéria - www.facebook.com/nigeriafilmes / e-mail: [email protected]il.com

Vídeos: 
Veja o vídeo
COM VANDALISMO * documentário completo

Co-criador dos Simpsons doará fortuna para a caridade

Sugerido por Támara Baranov

Do Vírgula

Com câncer, criador da série Os Simpsons doará fortuna para caridade

Sam Simon, co-criador da série Os Simpsons ao lado de Matt Groening, vai doar para a caridade toda a sua fortuna adquirida em royalties da animação. O valor, segundo o próprio, chega a dezenas de milhões de dólares.

Vítima de um câncer no cólon, o produtor executivo vai destinar sua fortuna para programas de combate à miséria e à proteção dos animais. Em uma entrevista para o site The Hollywood Reporter, Sam admitiu que é paciente terminal.

Entre as instituições beneficiadas está a PETA, a ONG Save The Children, e a Sea Sheperd, uma instituição de conservação da vida marinha. Leia mais »

Não importa o futuro que vier Globo será líder

Autor: 

Muito se discute sobre o futuro da mídia e a televisão aberta é, agora, a bola da vez. Pelo menos no mercado internacional, visto que aqui a TV aberta vem experimento seu melhor momento desde a década de 80 e 90. Mas como as novas plataformas de distribuição de conteúdo audiovisual estão se popularizando, os números da audiência televisiva vêm caindo sistematicamente desde 2005, levando muitos a pensar que o fim da TV aberta (leia-se TV Globo) está próximo. Mas isso é um ledo engano. Leia mais »

Globo faz programa tautista sobre "Honestidade"

 

Em meio ao debate do programa “Na Moral” Antônio Fagundes cita a fábula de Platão do anel da invisibilidade de Gyges para discutir ética e honestidade. Risos amarelos de Pedro Bial e da cantora convidada Gaby Amarantos diante de um momento de dissonância. Segundos de indecisão do surpreendido Bial, que toca o programa pra frente, sem comentários. “Na Moral” detona mais uma bomba semiótica na opinião pública (criar uma relação metonímica entre o impeachment de Collor em 1992 e as manifestações atuais), porém essa explosão parece que saiu pela culatra: esse momento de dissonância criado por Fagundes demonstrou o progressivo autismo da emissora que teimosamente tenta interpretar a realidade através da tautologia, auto-referência e metalinguagem. Seriam sintomas do “tautismo”, espectro que ronda a Globo que, para especialistas em comunicação e linguagem, são sinais de entropia de sistemas que adquiriram tamanha complexidade que não mais se sustentam. Leia mais »

Jabor e Globo ridicularizados em TV Argentina

A hipocrisia da mídia

(os argentinos desmascarando a Rede Bobo) 

Leia mais »