Mais uma ação da Marvel contra a homofobia

Por Edsonmarcon

Do Correio Braziliense

X-Men Wolverine beija semideus Hércules em novo quadrinho da Marvel

Sites especializados já divulgaram a foto do beijo entre os personagens

Luiz Prisco

 (Marvel/Divulgação)

O mais novo personagem a sair do armário é Wolverine. A edição número 10 da série da Marvel "X-treme X-Men", vai trazer a cena de beijo entre o mutante e o semideus Hércules. Sites especializados em quadrinhos do mundo inteiro anunciaram o "novo casal" nesta terça-feira (26/2).  

Leia mais »

Perder a piada é preciso

Por Gunter Zibell - SP

Dos blogs do Brasilianas.org

Apesar da grande e rápida evolução das sociedades, sempre aparece alguém para fazer algo tão tosco como uma piada injuriosa, desqualificadora ou potencialmente propagadora de preconceitos contra grupos e/ou pessoas. E, quase sempre também, aparece uma corte, com discursos falaciosos, para defender essa tentativa bisonha.

Vamos a alguns.

Não é possível fazer humor correto. Bobagem. Desde comédias de costumes (Shakespeare, Feydeau, Molière) até “sitcoms” atuais, o humor saudável e respeitoso é sempre possível. Tentar usar o inconsciente coletivo preconceituoso e propenso a rir de idiotices é apenas malicioso e disfarce para a falta de criatividade. Leia mais »

Paula Fernandes rebate críticas de religiosos

Autor: 
Por Gunter Zibell - SP

[Ao contrário dos homens peludos, este é um preconceito real e que não é novo - parece coisa do fim do século XIX... Só falta agora personalidades terem que esconder espiritualidade.]

http://terra.flashland.com.br/musica/apos-se-declarar-espirita-paula-fer... Leia mais »

Obesidade: um problema federal

            A Organização Mundial de Saúde calcula que 2,8 milhões de pessoas morram a cada ano em consequência da obesidade, tornando esta epidemia a mais grave do início do século 21.

No Brasil, os números do problema engordam cada vez mais. Segundo o IBGE, o Ministério da Saúde e as Sociedades Brasileiras de Pediatria e de Endocrinologia e Metabologia, o país tem pelo menos 70 milhões de cidadãos acima do peso, dos quais 18 milhões são obesos. Cerca de 34% das crianças de cinco a nove anos e 21,7% das crianças e adolescentes de 10 a 19 anos pesam mais do que deveriam. A epidemia de obesidade na adolescência fez com que se reduzisse o limite de idade para realizar cirurgia bariátrica (“redução do estômago”) de 18 para 16 anos. Leia mais »

"Quem sou eu nessa mistura tão bonita..."

Por Gunter Zibell - SP

Vamos lembrar dos belos versos de "Sou um Zé da Silva e Tantos Outros"? De autoria de Pe. Fábio de Melo. Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo
Veja o vídeo

Obesidade: um problema federal

            A Organização Mundial de Saúde calcula que 2,8 milhões de pessoas morram a cada ano em consequência da obesidade, tornando esta epidemia a mais grave do início do século 21.

No Brasil, os números do problema engordam cada vez mais. Segundo o IBGE, o Ministério da Saúde e as Sociedades Brasileiras de Pediatria e de Endocrinologia e Metabologia, o país tem pelo menos 70 milhões de cidadãos acima do peso, dos quais 18 milhões são obesos. Cerca de 34% das crianças de cinco a nove anos e 21,7% das crianças e adolescentes de 10 a 19 anos pesam mais do que deveriam. A epidemia de obesidade na adolescência fez com que se reduzisse o limite de idade para realizar cirurgia bariátrica (“redução do estômago”) de 18 para 16 anos. Leia mais »

Atrás do xixi elétrico só não vai quem já morreu...

Por MiriamL

Do Público.pt

Grupo de Carnaval brasileiro usa urina para gerar energia de carro de desfile

O objectivo é consciencializar cariocas e turistas para a sujidade e o mau cheiro que tornam, por estes dias, as ruas do Rio de Janeiro nauseabundas.

Os mictórios especiais só disponíveis para homens

É nesta segunda-feira que o Carnaval brasileiro verá algo inédito: na zona sul do Rio de Janeiro, o carro que transportará os músicos do bloco AfroReggae será movido a urina. É o resultado de um projecto conjunto de uma ONG local e de uma agência de publicidade, que querem chamar a atenção para a poluição causada por bexigas cheias em dias de festa muito bebidos.

“O chichi na rua sempre foi um grande problema do Carnaval no Rio de Janeiro. Essa polémica gerou uma discussão e a ideia nasceu”, revelou director de criação da agência JWT São Paulo, Erick Rosa, citado pelo TechTudo, site dedicado à tecnologia do grupo Globo.

Leia mais »

Os livros infantis de Lenain e os tabus sexuais

Por Gunter Zibell - SP

Da Folha

Autor infantil explora tabus sexuais

PAULO WERNECK, EDITOR DA "ILUSTRÍSSIMA"

RESUMO Autor de livros infantis que tratam de tabus sexuais, Thierry Lenain lança no Brasil história de garoto que descobre gostar de usar o vestido da namorada. Em meio ao debate na França sobre lei que permite casamento, adoção e procriação por casais homossexuais, Lenain comenta moral sexual no país e na literatura.

*

Em sua terra natal, ela tem o nome de um ícone do feminismo na literatura: Zazie, claramente inspirado na icônica (e boca-suja) personagem de Raymond Queneau. Entre nós, ganhou o nome brejeiro de Ceci, mas nem por isso abandonou o perfil contestador. A heroína criada pelo francês Thierry Lenain, autor de dezenas de livros para crianças, tem mais uma "aventura" lançada no Brasil: "Ceci e o Vestido do Max" [trad. Marcela Vieira, Companhia das Letrinhas, 32 págs., R$ 28,50].

No mundo da literatura infantil, especialmente vulnerável ao moralismo e ao doutrinamento, Lenain emplacou uma série de best-sellers sobre tabus sexuais em uma linguagem direta que chocaria aquele tipo de sensibilidade que adora denunciar "imoralidades" em livros para crianças.

Ilustração da artista francesa Delphine Durand

Delphine Durand/Reprodução

Leia mais »

Os livros infantis de Leacontra tabus sexuais

Por Gunter Zibell - SP

Da Folha

Autor infantil explora tabus sexuais

PAULO WERNECK, EDITOR DA "ILUSTRÍSSIMA"

RESUMO Autor de livros infantis que tratam de tabus sexuais, Thierry Lenain lança no Brasil história de garoto que descobre gostar de usar o vestido da namorada. Em meio ao debate na França sobre lei que permite casamento, adoção e procriação por casais homossexuais, Lenain comenta moral sexual no país e na literatura.

*

Em sua terra natal, ela tem o nome de um ícone do feminismo na literatura: Zazie, claramente inspirado na icônica (e boca-suja) personagem de Raymond Queneau. Entre nós, ganhou o nome brejeiro de Ceci, mas nem por isso abandonou o perfil contestador. A heroína criada pelo francês Thierry Lenain, autor de dezenas de livros para crianças, tem mais uma "aventura" lançada no Brasil: "Ceci e o Vestido do Max" [trad. Marcela Vieira, Companhia das Letrinhas, 32 págs., R$ 28,50].

No mundo da literatura infantil, especialmente vulnerável ao moralismo e ao doutrinamento, Lenain emplacou uma série de best-sellers sobre tabus sexuais em uma linguagem direta que chocaria aquele tipo de sensibilidade que adora denunciar "imoralidades" em livros para crianças.

Ilustração da artista francesa Delphine Durand

Delphine Durand/Reprodução

Leia mais »

Leis islâmicas em Gaza restringem liberdade das mulheres

Autor: 
Por Gunter Zibell - SP

http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/leis-islamicas-na-faixa...

Após quase seis anos de controle do grupo islamita Hamas na Faixa de Gaza, observa-se um número crescente de leis e normas que restringem a liberdade das mulheres e geram uma transformação cultural nessa região.

A sociedade de Gaza torna-se mais conservadora do que a sociedade palestina na Cisjordânia, que permanece sob controle do grupo laico Fatah. Leia mais »

Carnaval: e o pulso ainda pulsa

Por Sérgio de Moraes Paulo

E o pulso ainda pulsa..., por Sérgio de Moraes Paulo

Em opalpiteiro 

Quinta-feira, 31 de janeiro de 2008, 19:00h. Uma são Paulo com céu nublado e muito trânsito começa a se diferenciar da metrópole insana de todos os dias. Há uma certa expectativa, pois faltam poucas horas para o Carnaval realmente começar. Com data oficial na terça, dia 5 de fevereiro, o Carnaval começa mesmo muito antes, na sexta-feira.

Um palpiteiro percorre o caminho de sempre, no mesmo horário e dia da semana. Mas dessa vez há algo diferente. Passando pela Bela Vista, vê um trabalhador vindo do trabalho. Pouco mais de 20 anos, camisa da escola Vila Isabel do RJ e um tamborim na mão. Mais adiante percebe um movimento anormal nos bares, com gente bebendo cerveja e ansiosa para uma festa grande. A Bela Vista é reduto da Vai-Vai e não é preciso muito esforço para saber que sua presença é grande no bairro que tem uma rua com o nome de Adoniran Barbosa.

O trânsito ainda é grande, mas desta vez a paisagem se enriquece e a tolerância então aumenta. Rota alternativa para o bairro. Para pegar a Marquês de São Vicente na Barra Funda é preciso fazer uma conversão que passa pela Universidade Zumbi dos Palmares que é vizinha da Escola de Samba Camisa Verde-e-Branco. Rua lotada e quadra repleta de fantasias. Pessoas em diferentes sentidos: algumas para pegar a fantasia outras já com elas não mão. Cuidadosmente...

Leia mais »

A visão portuguesa do carnaval brasileiro

Por Adir Tavares

Sensualidade nos desfiles de Carnaval em São Paulo (COM FOTOGALERIA)

Por:Domingos Grilo Serrinha, correspondente no Brasil, No Correio da Manhã

A segunda e última noite de desfiles de escolas de samba do Carnaval de 2013 em São Paulo foi marcada por luxo, alta tecnologia e muita, muita sensualidade, e fez o público vibrar desde o final da noite de sábado, quando o evento começou, até depois das sete da manhã deste domingo, quando a última escola terminou a sua passagem pelo Sambódromo do Anhembi. Como se ainda quisessem mais, mesmo depois de tantas horas de desfile, milhares de pessoas não arredaram pé até que o último passista terminou a sua evolução, já com um sol bem forte.

Um dos maiores destaques da noite foi a "Gaviões da Fiel", escola de samba ligada ao clube de futebol Corinthians, que em Dezembro se sagrou bi-campeão mundial de clubes ao derrotar o Chelsea no Japão. Com um enredo sobre a história da propaganda e a sua importância na vida dos brasileiros, a "Gaviões", segunda escola a desfilar, elevou o clima nas arquibancadas ao rubro com muito luxo nas fantasias bem detalhadas, muito colorido e impressionou com um carro alegórico abre alas com nada menos que 60 metros de comprimento, repleto de efeitos tecnológicos e muitas mulheres bonitas. A empolgação nas arquibancadas foi um espectáculo à parte e o público soltou tantos fogos-de-artifício que por alguns momentos nem dava para ver o desfile.

Leia mais »

Mulheres terão que usar véu em universidade da Faixa de Gaza

Por Gunter Zibell

Leis islâmicas na Faixa de Gaza restringem liberdade das mulheres

De Guila Flint - Direto de Tel Aviv para o Portal Terra, 

Na maior universidade da Faixa de Gaza, mulheres terão que usar véu

Após quase seis anos de controle do grupo islamita Hamas na Faixa de Gaza, observa-se um número crescente de leis e normas que restringem a liberdade das mulheres e geram uma transformação cultural nessa região.

Na Faixa de Gaza, as mulheres enfrentam normas rígidas que limitam sua liberdade Foto: AFP

Na Faixa de Gaza, as mulheres enfrentam normas rígidas que limitam sua liberdade Foto: AFP

Leia mais »

Uma homenagem as mulheres do início do século passado

Por Nilva de Souza

A Mulher no Começo do Século

No Manhattan Connection de domingo passado, veio à tona em meio aos comentários sobre a jornalista Lara Logan, correspondente da CBS e repórter do programa “60 Minutos”, que foi sexualmente agredida no Cairo, a descortesia, a deselegância e a selvageria com que as mulheres são tratadas no oriente médio.  No entanto, lembrei que também há em nosso meio um tratamento promíscuo embutido na indústria do entretenimento que é dado às nossas mulheres. A mídia às trata de forma rasa e as transforma em personagem principal do circo pornográfico da música e da dança em voga, e a masculinidade adora quando muitas se entregam ao escárnio sob pretexto de diversão ou vida artística.

Este post é uma homenagem e um reconhecimento à perseverança com que as mulheres  foram galgando o seu espaço numa sociedade arraigadamente machista, para ter, primordialmente, seu lugar ao sol e não para continuar sendo um objeto. Não se trata de conquista do movimento feminista, mas da mulher mesmo.

Flor em jardins só de folhas, nuvem branca em céus só azuis, gaivota em praias só de ondas, vida multiplicada em existências de solidão. Elas significam exatamente isso.

Separei imagens lá do início, quando  já começavam a se espalhar pelos espaços. Espero que estas conquistas sejam reverenciadas tanto por eles quanto por elas.

Leia mais »