Aguinaldo Gonçalves lança nova obra poética

O crítico literário, ensaísta, escritor e poeta Prof.º Aguinaldo Gonçalves iniciou na capital paulista na noite de 19 de julho o lançamento da sua nova obra poética “Nove Degraus para o Esquecimento, publicada pela Ateliê Editorial.  No próximo dia 25/07, o lançamento seráem São José do Rio Preto, a partir das 19 h., no Bar Casa das Janelas, à rua João Teixeira, 346. O lançamento em outras cidades do Brasil,segundo o poeta, serão brevemente agendadas. Leia mais »

O que acho da carta do americano que achou sobre o Brasil

Autor: 

Alguém conhece engenheiro de obra pronta? Pois é... Existem de montão... Para quem nao sabe do que se trata, exemplifico: aquela pessoa que chega na sua casa e diz pra voce como deveria ser sem que voce tenha perguntado, e passa a dar idéias e fazer críticas sobre o que não sabe e não viveu. Ora, uma casa é viva e cada detalhe tem sua história, memorias, pode parecer feio, antiquado, ate com aspecto de lixo, mas são as suas memórias, sua história... Cada casa é isso, não uma vitrine de shopping de decoração ou capa de revista casa e jardim. Sua casa fala de voce, inclusive quando bagunçada... É minha, eu critico, voce nao! 
Mas isso tudo para dizer da sensação que tive ao ler o texto que anda sendo divulgado na rede, de um americano que do alto de seus vastos quatro anos de experiência no Brasil, acredita-se apto para fazer definições sobre o nosso modo de ser.  Leia mais »

Imagens: 
 O que acho da carta do americano que achou sobre o Brasil

Música nas Escolas - Faça acontecer!

Autor: 

 

A década é 1970. A seleção brasileira de futebol acabou de conquistar o tricampeonato no México e o Brasil vive sob a pressão da botina do governo militar. Nesse mesmo período, decreta-se a morte do ensino de música nas escolas públicas e particulares. No lugar das aulas de música, as escolas estão obrigadas a ministrar aulas de Educação Moral e Cívica e, mais tarde, Organização Social e Política do Brasil – OSPB.

O máximo que se aprendia em termos de música naquela época era cantar os hinos cívicos tais como o Hino Nacional, Hino da Independência, da Bandeira. As músicas que podiam tocar nos meios de comunicação eram somente as permitidas pelos fardados, tal como "Você também é Responsável", interpretada por Dom e Ravel, a qual, mais tarde, se tornaria conhecida como o Hino do Mobral - Movimento de alfabetização, ou ainda, da mesma dupla "Eu te amo meu Brasil". Leia mais »

Vídeos: 
Veja o vídeo
A música na escola

A coreografia do poder - Cisne Negro Cia de Dança e Trama

Querer representar um éthos nacional é um cipoal que deveria fazer com que qualquer artista pensasse e pesasse bem seu objetivo, a forma como fazê-lo e como apresentá-lo. Não a ponto de desistir, mas para evitar qualquer caminho batido, que ofusque o que a obra pode ter de positivo. Vale para qualquer país, porém creio que ganha ares ainda mais complexos no Brasil, cuja formação da idéia de nação está antes atrelada ao território que a um povo (Antônio Carlos Robert de Moraes faz uma interessante análise nesse sentido em Território e história no Brasil).

O coreógrafo Rui Moreira até teve cuidado na apresentação de seu espetáculo Trama, de 2001, dançado pela Cisne Negro Cia de Dança no CCSP, no penúltimo fim de semana deste maio. Ele trata de avisar no programa: "Neste Brasil mestiço, misterioso e mágico, todos os retratos são tendenciosos, parciais ou comprometidos". Como não podia deixar de ser, portanto, tendencioso também é o retrato que ele traça do "contagiante caminho da alegria neste País". Contudo, por mais que seja avisado da parcialidade, há algo no ângulo por ele assumido que merece uma maior reflexão.  Leia mais »

Má Educação

Autor: 

 


Aqui nessa casa ninguém

quer a sua boa educação

nos dias que tem comida

comemos comida com a mão...

(Arnaldo Antunes)

  Leia mais »

UMA DECLARAÇÃO DE AMOR A MINHA CIDADE

Eu te amo Rio de Janeiro não somente por ter nascido de seu útero.
Eu te adoro não apenas por ter me parido nas Laranjeiras.
Justamente em março, trinta dias após seu aniversário, na sua mais bela estação. Leia mais »

A Bunda

Autor: 

 

                Não havia quem não olhasse: aquela bunda firme, bem destacada da cintura, arrebitada. Por baixo de calças jeans, vestidos, camisões largos, roupas pretas, saias, shorts e, claro, de biquíni, olhares indisfarçáveis, deleitados. Só uma pessoa a odiava: Luciana, a dona.

                Filósofa, com doutorado em uma das mais importantes instituições do país, pós-doutorado na Inglaterra, autora de inúmeros livros, consultora do Ministério da Cultura, capoeirista, baterista, integrante de um grupo de maracatu, cozinheira de mão cheia, capaz de fazer pratos europeus sofisticados e feijoadas comparáveis às da Vicentina. Para sua desgraça, nenhum destes atributos era capaz de desviar a atenção das pessoas de sua bunda. Leia mais »

MENSAGEM DE CHAPLIN PARA O NATAL

 TUDO DEPENDE DE MIM (um texto para reflexão) Hoje levantei cedo pensando no qu Leia mais »

2101: O agreste paulista

Autor: 

 

                Eliseu arrancava com raiva e má vontade o couro do teiú que caçara depois de algumas horas debaixo do escaldante sol do verão paulista. Rodeara a cerca da fazenda dos Matarazzo, olhando com inveja para aquele reduto, aquele oásis encravado em pleno semiárido sudestino, os rebanhos de bois gordos, cabras e avestruzes suculentos, as frutíferas, o café e a roça de aipim verdejantes. Leia mais »

Cantinho do Poeta Feliz - Tiago Malta

Autor: 

Cantinho: Canto pequeno / Todo lugar confortável e acolhedor 

Poeta: quele que escreve em verso / Aquele que tem faculdades poéticas. Do Grego POETÉS, “poeta, autor, aquele que faz”, desde a base Indo-Européia , “fazer”. Leia mais »

A Casa do Parente

Autor: 

 

 

“Eu conheço Wapixana que mora no treze
E ele sabe de outros cem
Que também moram lá
Muita gente índia, muita gente
No conselho indigenista
Macuxi de São Vicente

Tudo índio, tudo parente”

Eliakim Rufino

  Leia mais »