Sandra Cureau e a espuma dos fatos

Prezados geonautas,

Comentário ao post: Sandra Cureau volta a atacar

O acontecimento é a espuma, é preciso pescar no fundo”, Paul Valéry.

Raimundo Faoro em seu brilhante ensaio de 1986, "Existe pensamento político brasileiro?", fala a certa altura, da arte e da esfera das decisões políticas, onde realmente as questões da nossa vida cotidiana é concretizada de fato e de direito, seja com argumentos e embasamentos técnicos e/ou jurídicos, no fundo são decisões da esfera política, Faoro lembra-nos:

(...) “a política cujo segredo é não ter política, aquela que lord Acton atribuía a lord Liverpool. A política cujo segredo é não ter política é uma pobre e insustentável falácia, falácia cuja astúcia estaria no ocultamento do jogo — o mais refinado de todos.”  Faoro, R. Existe um pensamento político brasileiro, IEA-USP,1986.

Na mesma linha, assim escreveu no século XIX, Karl von Clausewitz,  “A guerra é a continuação da política por outros meios”.

Podemos dizer que o discurso técnico entra na mesma falácia, vale lembrar o discurso estritamente "técnico" do engenheiro Prestes Maia, ao ser empossado como Prefeito de São Paulo, no início de 1938, após o golpe do estado novo de Getúlio Vargas (Set. 1937), e como consequência do clima político da época, pagou o pato o maior intelectual brasileira, Mário de Andrade, devido sua relação com os intelectuais da "Constelação Capanema" do Ministério da Educação e Saúde do Governo Vargas, foi acusado de corrupção e demitido do Depto de Cultura da Pref. de São Paulo, a acusação foi uma falácia e que jamais foi comprovada, como disse em carta o próprio Mário de Andrade, acusação essa, da qual ele próprio, jamais se recuperou, desta data, até sua partida antecipada e "fora do combinado" em 25 de fevereiro de 1945.

Paul Valéry  e "A Política do Espírito":

(...) A tarefa política primordial consiste, pois, em desdobrar o trabalho do espírito, não ficar apenas nos pensamentos propostos pelo espírito (isso a tecnociência faz de forma admirável), mas ir às leis do espírito e das próprias coisas. Mais: é evidente que vivemos a era dos fatos. Falta ao mundo aquilo que Valéry designa, no ensaio A política do espírito, como mitos, ou coisas vagas (ideais políticos, utopias etc.). Não há política sem mitos, diz ele, uma vez que toda sociedade só existe, funcionalmente, à base de mitos: “…toda estrutura social é fundada sobre a crença ou sobre a confiança. Todo poder se estabelece sobre propriedades psicológicas. Pode-se dizer que o mundo social, o mundo jurídico, o mundo político são essencialmente mundos míticos, isto é, mundos cujas leis, as bases, as relações que as constituem, não são dados, propostos pela observação das coisas, por uma constatação, por uma percepção direta; mas, ao contrário, recebem sua existência, sua força, sua ação de impulsão e de repressão; esta existência e esta ação são tão mais potentes quanto mais ignorarmos que elas vêm de nós, de nosso espírito”. ADAUTO NOVAES_O futuro não é mais o que era (3. ESPÍRITO DO TEMPO), junho 2011. (link do texto aqui)

Se o argumento de Luis Nassif, no artigo de hoje, A volta da meritocracia no STF, supondo em tese (eu não acredito), ser um fato verdadeiro, a mesma meritocracia, vale para o argumento jurídico da vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau e toda esfera do judiciário?

O Brasil ainda é, de fato e de direito, somos uma sociedade sem maturidade e medíocre, temos uma "elite marginal", lembrando Faoro, ou como disse o cineasta nascido no berço de ouro, Walter Salles, "o Brasil não tem elite tem oligarquia".

(...) "A política cujo segredo é não ter política é uma pobre e insustentável falácia, falácia cuja astúcia estaria no ocultamento do jogo — o mais refinado de todos.”

O ocultamento do jogo político-judiciário, não é  já "Cousteau" nem vai custar, esta a olho nu, "o rei esta nu e cru

E la nave va: O “Brasil Nação” hoje e a Alemanha de Friedrich List em 1841 (04/04/2013 - 13:47)

Nenhum voto
1 comentário
imagem de Oswaldo Conti-Bosso

Sandra Cureau e a espuma dos fatos

Enviado por luisnassif, sex, 24/05/2013 - 21:30

Por Oswaldo Conti-Bosso

 

Menino de Engenho - engenharia de idéias e laços sociais. “A leitura do mundo antecede a leitura da palavra”. Quem sou e de onde vim?: http://www.advivo.com.br/blog/oswaldo-conti-bosso/quem-sou-e-de-onde-vim

Postar novo Comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
CAPTCHA de imagem
Digite os caracteres exibidos na imagem acima.